As 7 características profissionais mais procuradas pelas empresas

Esqueça todos os antigos conceitos arraigados em sua mente sobre relação do profissional e mercado de trabalho. O novo bem-sucedido na carreira, aquele dotado de características profissionais desejadas pelas melhores empresas, é autônomo, de múltiplas habilidades e formações, interligado simultaneamente a inúmeros empregadores, empreendedor, sem lastro (disposto a mudar sua vida inteira no próximo segundo), ultraconectado e, sobretudo, independente.

Na Era da Instabilidade, mudanças sem precedentes nas relações de trabalho (como terceirização, home office e flexibilização na jornada de trabalho), aliadas à entrada no mercado dos membros da Geração Z (nascidos em meados de 90) constituem a fórmula perfeita para um redesenho completo na dinâmica das relações laborais e, por consequência, nas características profissionais desejadas pelo “mercado 2.0”.

Nessa perspectiva, tenha a certeza de que você está sendo testemunha das transformações mais profundas implementadas nas relações de trabalho desde que a Revolução Industrial formou um exército de “combatentes” nas linhas de produção das fábricas inglesas.

Para que você não perca o timing dessa revolução silenciosa, vamos mostrar nas linhas abaixo algumas das mais importantes virtudes que o mundo dos negócios vem exigindo de seus profissionais! Mude sua história com a mudança de seus pensamentos!

Multiespecialista: uma das características profissionais mais valorizadas na atualidade

Especializar-se em uma área e achar que apenas isso encantará os diretores das grandes corporações é crença de antiquário. O mundo atual exige enxugamento extremo de custos, excelência em qualidade e revisão permanente de processos. Implementar essa dinâmica impõe ter profissionais que tenham visão sistêmica de toda a estrutura da empresa, o que passa por versatilidade, inclusive na formação.

Um profissional bacharel em Administração, com segunda graduação em Direito, especialização em Contabilidade de Custos e MBA em Gerenciamento de Projetos poderia ser visto como sem foco, se fosse em meados dos anos 90. Mas o mundo mudou e as empresas, também. Atualmente, um profissional com habilidades múltiplas que se inter-relacionam e que o tornam mais apto a enxergar a organização por suas diversas nuances é o sonho de qualquer multinacional. Trata-se de uma das características profissionais mais observadas na análise dos currículos.

Adaptável a construir uma carreira sem fronteiras

A Internet diluiu fronteiras geográficas com muito mais eficiência do que qualquer acordo multilateral. Com isso, são poucas as empresas de vulto que se resignam em restringir seu público-alvo à capacidade máxima de seu alcance analógico.

A possibilidade de negociar produtos e serviços a qualquer ponto do globo terrestre exige dos novos profissionais habilidades de comunicação (e negociação) em diversos idiomas (em detrimento ao profissional “apenas” bilíngue) e, eventualmente, disponibilidade para ser alocado onde a empresa necessitar. Nova Deli, Shenzen, Frankfurt, Cidade do Cabo… Você está preparado para ser um cidadão do mundo?

Proativo e autônomo

O conceito é antigo, mas nunca foi tão imprescindível a uma organização. A complexidade dos processos internos das empresas modernas e a necessidade imperiosa de dar respostas rápidas para não ser colocado de lado pela concorrência fazem com que as companhias estimulem a capacidade de tomar decisões de cada colaborador. Essa nova dinâmica exige personalidade do profissional para decidir sem a necessidade de consultar a chefia a cada minuto em que uma nova situação é confrontada.

Em outras palavras, a descentralização das estruturas organizacionais pressiona os profissionais a serem mais proativos, a não se limitarem a cumprir bem suas atribuições, mas a serem também gestores no âmbito de suas funções.

Flexível a novos arranjos trabalhistas

A reforma trabalhista é iminente e, em certa medida, já vem sendo implementada pelo próprio Supremo Tribunal Federal, com decisões de efeitos vinculantes que flexibilizam as relações entre empregados e empregadores. Com isso, os olhos dos recrutadores estarão cada vez mais atentos a encontrar profissionais mais abertos à flexibilidade nos contratos de trabalho, na forma de remuneração e nas jornadas de trabalho.

Ficar preso aos modelos de séculos passados de ajustes laborais tende a dificultar a colocação profissional em uma grande corporação. E essa é uma transformação sem volta, pode ter certeza.

Apaixonado pelo conhecimento

Estudo é para a vida inteira. Essa é a mentalidade que as empresas buscam ao entrevistar um profissional em seus processos seletivos. Mobilidade, Computação em Nuvem, Big Data e Internet das Coisas (IoT) são conceitos que aceleraram ainda mais o passo das mudanças na rotina da sociedade, na forma com que seus membros interagem com o mundo e, por consequência, na maneira das empresas relacionarem seus produtos com as necessidades desse novo target.

Essa obsessão do novo mundo pela mudança permanente não permite que as organizações tenham em seus quadros profissionais acomodados, que se orgulham de sua graduação alcançada na década passada. Especializações, MBAs, Mestrado Profissional (MP): o ciclo do aperfeiçoamento e reciclagem na carreira termina apenas no primeiro dia de sua aposentadoria. E as empresas querem enxergar essa ideologia em você.

Empreendedor

Empreendedor é uma palavra que se relaciona somente ao dono do negócio? Se essa é sua visão, ainda há tempo de mudar seus conceitos. O empreendedorismo corporativo (também chamado de intraempreendedorismo) vem sendo extremamente bem visto nas organizações, em decorrência dos ótimos resultados que as empresas pioneiras têm alcançado com essa ideologia.

Ser criativo, propor novas soluções para os desafios da empresa, implantar inovações em processos de seu departamento, liderar projetos multidepartamentais: todas essas virtudes de um bom empreendedor certamente empurrarão a empresa um passo à frente da concorrência. Em função de tudo isso, trata-se de uma das características profissionais mais valorizadas atualmente.

Ética e preocupação ambiental

Não que ética fosse algo irrelevante em décadas passadas. Mas, na atualidade, com pressões advindas de termos como governança corporativa, accountability e compliance, ter uma equipe de colaboradores que valorizem a ética em suas relações com fornecedores, clientes e demais stakeholders se tornou fundamental para preservar a imagem da empresa.

Nessa mesma perspectiva, desenvolvimento sustentável também encontrou lugar na pauta de prioridades das organizações modernas, o que exige funcionários comprometidos com a causa ambiental.

Você tem todas essas características profissionais? Reflita, reorganize-se para as demandas do novo milênio e aproveite para curtir e compartilhar nossa página nas redes sociais! Sucesso e até mais!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"