Como fazer a gestão de clima organizacional do jeito certo

Em ambientes corporativos, os recursos humanos exercem um papel essencial para o bom desempenho das operações. Equipes coesas, motivadas e alinhadas com os objetivos da organização são, sem dúvida, peças-chave para a otimização da rotina e para o sucesso do negócio.

Contudo, obter o máximo desempenho dos recursos humanos requer que sejam criadas condições ideais para que todos possam trabalhar de maneira adequada. E, mais que isso, que se sintam confortáveis e motivados a se manterem na empresa.

Nesse ponto, entra em pauta a gestão de clima organizacional, como ferramenta capaz de promover todas essas funções.

Você conhece a maneira correta de fazer a gestão de clima organizacional? Sabe como ela pode ser relevante para sua empresa? Não? Então está na hora de mudar isso. Acompanhe no post de hoje!

Gestão de clima organizacional: o que é, afinal?

Esse conceito nada mais é do que um conjunto de ações executadas no ambiente de trabalho, que podem ser percebidas direta ou indiretamente pelos colaboradores. Em outras palavras, são as ações que demonstram a preocupação do gestor e da própria empresa em criar um ambiente saudável e estimulante.

Essas ações servem como indicadores de satisfação dos indivíduos inseridos no contexto da empresa. Entre elas, podemos citar as políticas de recursos humanos, o modelo de gestão e valorização do profissional. Ou seja, tudo aquilo que tem o objetivo de motivar o colaborador e fazê-lo perceber as vantagens que aquele ambiente traz.

A administração do clima organizacional é uma tarefa que cabe ao gestor, portanto ele precisa conhecer muito bem o ambiente e as pessoas nele inseridas. Na prática, para promover e otimizar essa gestão, algumas medidas são fundamentais. Veja algumas delas abaixo:

Entender o perfil dos colaboradores

Conhecer o perfil dos colaboradores ajuda a compreender quais são as suas principais necessidades e, a partir daí, adaptar o ambiente para que suas demandas sejam cumpridas.

Por exemplo, em um grupo de funcionários podem existir aqueles que têm mais facilidade de comunicação, sejam mais desinibidos e tenham um perfil de liderança. Por outro lado, existe também quem prefere se comunicar menos e trabalhar de forma mais reservada.

O gestor, conhecendo esses dois perfis de profissionais, pode agir buscando alocar cada um deles em funções que se alinhem melhor ao seu perfil, tirando melhor proveito deles e ainda melhorando o bem-estar de cada um.

Motivar trabalho

Dentro da gestão do clima organizacional, a motivação é elemento essencial. Sem ela, é praticamente impossível promover mudanças significativas na eficiência e nos resultados da empresa. Por isso, o gestor deve sempre conseguir identificar quais são os elementos que mais motivam os colaboradores para, então, reforçá-los.

Nesse quesito, existem inúmeros pontos que podem ser fortalecidos para criar mais motivação. Por exemplo, salários mais atrativos, planos de carreira, incentivo ao aperfeiçoamento por meio de cursos e especializações, entre outros. Tudo isso valoriza o profissional e faz com que ele se sinta motivado a trabalhar e a permanecer na empresa.

Estabelecer uma cultura de feedbacks

Outro ponto que se destaca na gestão do clima organizacional é a política de feedbacks. Apontar ao colaborador suas habilidades e seus pontos fracos, quando feito da maneira correta, tem um impacto positivo não só sobre a qualidade do trabalho, mas também sobre a imagem da empresa — visto que o funcionário sentirá que a organização se preocupa com seu crescimento pessoal e profissional.

Além de dar ao colaborador a possibilidade de ele crescer e melhorar suas funções dentro da empresa, o feedback reforça a importância de cada um, pois a companhia mostra que prefere investir no aperfeiçoamento dos que já fazem parte da equipe em vez de buscar profissionais de fora.

Entender as causas do turnover

A alta rotatividade de profissionais nas empresas pode indicar problemas sérios na gestão do clima organizacional. Muitas vezes, o turnover acontece porque a empresa não passa a imagem que os profissionais de hoje buscam e nem oferta as condições de trabalho almejadas.

Nesse contexto, entender as causas do turnover é medida de ordem para ajudar a gestão do clima organizacional. Afinal, se o gestor sabe o que faz com que os funcionários optem por abandonar a empresa, ele pode agir para acabar com o problema.

Por exemplo, se a causa é a média salarial reduzida e a baixa perspectiva de progressão de cargos, a organização pode reformular os seus planos de carreira e repensar os salários.

Estudar a cultura da empresa

Para colocar em prática todas as dicas listadas anteriormente, é indispensável que o gestor tenha pleno conhecimento da cultura da empresa. Certamente, algumas mudanças estruturais deverão ser feitas, por isso é tão importante compreender bem a política organizacional.

Atualmente, as empresas estão cada vez mais evoluídas quando a questão é a administração dos seus recursos humanos. Valores como motivação, valorização pessoal e profissional, respeito e humanidade estão inseridos na cultura das grandes organizações atuais.

Sabendo disso, o gestor deve trabalhar para que os valores citados sejam estimulados no ambiente — visto que, atualmente, eles são os que mais se alinham a um clima organizacional adequado e podem trazer muitos benefícios.

Contratar um consultor externo

Para entender o panorama do clima organizacional de uma empresa, o gestor pode se valer de alguns recursos, como é o caso da pesquisa de clima.

A pesquisa de clima é um procedimento muito interessante, e no mercado já são encontrados softwares próprios e consultorias especializadas nesse tipo de ação. O objetivo desse método é conhecer os níveis de satisfação dos colaboradores em relação às condições oferecidas pela empresa.

O ponto a que queremos chegar é o seguinte: em muitos casos, essa pesquisa é realizada pelos próprios gestores. Isso nem sempre é indicado, pois pode influenciar nas respostas e nos resultados, mesmo que involuntariamente.

Desse modo, o ideal é que seja contratado um consultor externo, isento de vínculos com a organização e com os colaboradores. Isso permite que as respostas à pesquisa sejam mais sinceras e o procedimento seja imparcial, melhorando, assim, os seus resultados.

Por fim, como foi possível perceber, a gestão de clima organizacional não é uma tarefa impossível, mas depende de alguns fundamentos — os quais listamos para você.

Agora que você já sabe qual o jeito certo de gerenciar o clima organizacional, está na hora de partir para a prática. Mas, antes, o que acha de nos contar um pouco sobre as suas impressões ou eventuais dúvidas? Deixe seu comentário abaixo! Será um prazer respondê-lo!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"