O que é governança corporativa e por que ela importa no cenário atual?

As empresas podem já nascer com práticas de governança corporativa ou implementá-las em algum momento da sua trajetória. Entretanto, especialistas não têm dúvida: adotar ferramentas de governança corporativa mitiga riscos e torna a empresa mais eficiente e profissionalizada.

Acordo de acionistas, plano de remuneração, definição dos deveres dos executivos, planejamento estratégico com revisão contínua e formação de conselhos de administração com membros externos e independentes são algumas das boas práticas corporativas.

“Se a reputação é o nome do jogo, uma marca bem cuidada ao longo dos anos vale mais do que qualquer ganho de curto prazo”, declara o especialista em estratégia corporativa e CEO da consultoria DOM Strategy Partners, Daniel Domeneghetti. “Ainda mais se o ‘tempero’ da credibilidade for uma boa dose de governança corporativa.”

Neste post, você vai descobrir por que esse assunto é importante. Acompanhe:

O que é governança corporativa

A governança tem como escopo de aplicação toda e qualquer organização, e envolve desde os aspectos relacionados à gestão até as questões ligadas à missão, à visão, aos valores e às políticas corporativas, bem como ao relacionamento com os stakeholders.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC):

Governança corporativa é o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas.

As boas práticas de governança corporativa convertem princípios básicos em recomendações objetivas, alinhando interesses com a finalidade de preservar e otimizar o valor econômico de longo prazo da organização, facilitando seu acesso a recursos e contribuindo para a qualidade da gestão da organização, sua longevidade e o bem comum.

A importância da governança corporativa

“O foco no atingimento dos objetivos da empresa, incluindo a minimização de potenciais conflitos com outras partes, deve incorporar valores e princípios como transparência, estado de direito, responsabilidades claras, decisões orientadas ao consenso e respeito às partes envolvidas”, afirma Daniel Domeneghetti.

Segundo o especialista em estratégia corporativa, a eficácia dos processos e das estratégias corporativas priorizadas também devem ser levadas em conta, pois são questões de suma importância. Afinal, uma estrutura de governança tem como objetivo ampliar a qualidade da gestão e o valor da organização.

Para o sócio da assessoria contábil Gorioux Faro do Brasil Fernando Segato Afonso, a governança corporativa mostra-se cada vez mais importante no cenário atual, com os crescentes problemas de corrupção. “Ela ajuda a evitar maiores prejuízos para as diversas partes interessadas”, diz.

O mercado globalizado

Há alguns anos, o modelo empresarial brasileiro passa por uma fase de transição em que as empresas evoluíram, em sua maioria, de uma administração familiar e de um controle acionário sem poder de decisão para uma estrutura nova e mais profissionalizada.

As companhias conquistaram investidores institucionais, fragmentaram o controle acionário e colocaram maior foco na eficiência econômica e na transparência da sua gestão.

Vários fatores têm influenciado mudanças nesse sentido, como as privatizações, os impactos da globalização, a necessidade de financiamento — e, consequentemente, a postura mais ativa dos investidores.

“As empresas que investem em governança corporativa apresentam um diferencial competitivo interessante, maior preparo para atender demandas rápidas, melhor organização para atender o cliente e menor custo operacional”, Fernando Segato Afonso.

De acordo com ele, em um mundo globalizado, companhias sem essa preocupação raramente conseguem fazer frente a empresas internacionais com estruturas de controles e governança.

Os benefícios da governança corporativa

O professor universitário André Carvalho lista algumas das vantagens que a governança corporativa:

  • profissionalização;

  • credibilidade;

  • estabilidade nos negócios;

  • identificação de outras oportunidades de negócio;

  • otimização da estrutura;

  • transparência;

  • vantagem competitiva.

Um sistema de governança corporativa eficiente pode, ainda, gerar um conjunto de benefícios internos que melhora as perspectivas de fluxo de caixa da companhia. Dentre eles, estão o aprimoramento do processo decisório da alta gestão e a separação clara de papéis entre acionistas, conselheiros e executivos.

Também ocorre uma melhoria dos mecanismos de avaliação de desempenho e recompensa dos executivos e uma diminuição da probabilidade de ocorrência de fraudes e corrupção.

Empresas com boa governança são mais procuradas pelos investidores — o que resulta na redução do seu custo de capital e na valorização de suas ações.

As práticas essenciais

Transparência

As companhias precisam colocar à disposição dos seus públicos de interesse todas as informações que dizem a seu respeito, independentemente do que dispõe a lei ou seu regulamento interno. Os dados não devem se restringir ao desempenho econômico-financeiro mas também devem trazer à tona políticas que guiam a ação gerencial.

Equidade

Caracteriza-se pelo tratamento justo e isonômico de todos os públicos com os quais a empresa se relaciona, levando em consideração seus interesses, expectativas, direitos e deveres.

Prestação de contas (accountability)

Aqueles que estão envolvidos com a governança devem relatar suas ações de maneira clara, compreensível e consistente, assumindo as consequências dos seus atos e das suas omissões.

Responsabilidade corporativa

A política de governança corporativa e aqueles que a conduzem têm como objetivo minimizar as externalidades negativas da empresa e trabalhar para aumentar as positivas. Nesse processo, os vários aspectos de uma companhia devem ser levados em conta a curto, médio e longo prazos.

Hierarquia

É fundamental que a organização tenha uma hierarquia clara, definida e muito bem comunicada.

Metas claras

Acompanhar objetivos, projetos e fazer acordos de atendimento das metas com os envolvidos é parte crucial do processo.

Confiança

Poder contar com pessoas de confiança, dentro e fora da empresa, é essencial. Ser humilde e compreender que não sabemos tudo e podemos e devemos aprender sempre é uma das chaves para o sucesso corporativo.

As consequências

Os problemas de ausência ou falhas de governança (por exemplo: problemas legais, éticos ou financeiros) trazem graves consequências para empresas, investidores, empregados e sociedade.

“Tratar a boa governança como um ativo intangível estratégico para a empresa, à medida em que ela caminha na direção da transparência, da ética e da comunicação com seus públicos de interação, é um desafio fundamental para as companhias que almejam ser respeitadas e admiradas”, lembra Domeneghetti.

Sendo assim, é imprescindível que a empresa tenha uma gestão de negócios eficiente em paralelo com a governança corporativa.

Agora que você conhece os benefícios da governança corporativa, analise os processos da empresa onde você trabalha e compartilhe suas observações conosco. Deixe um comentário!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"